parceria
Início Notícias Fale Conosco Vídeos
CANAIS
 

Notícias

207 leituras | 000 comentário | Notícias | Geral
sexta-feira, 19 de abril de 2013 SINJUR

TJRO vai parar: Trabalhadores deliberam pela paralisação

COMPARTILHE

Em Assembleia Extraordinária realizada em 15/04, em todas as Comarcas do Estado, os trabalhadores decidiram pela paralisação do Poder Judiciário do Estado de Rondônia no dia 24/04, se a Administração não avançar com as negociações sobre a reposição salarial.

Na Capital, a assembleia ocorreu em frente ao prédio sede do TJRO e nas outras Comarcas foi realizada nos fóruns. Em todo o Estado mais de mil trabalhadores participaram das assembleias que busca a reposição salarial.

Em 21 das 23 Comarcas do Estado foi deliberado pela paralisação do dia de alerta (24/4). Somente as Comarcas de Ouro Preto e Machadinho foram contrárias. Em Ouro Preto a categoria deliberou que em vez da paralisação fosse dada entrada em uma ação judicial pleiteando a reposição salarial e em Machadinho foi deliberado que esperássemos até o dia 30 de junho e só então fosse declarada a greve.

Os trabalhadores estão em busca de um direito garantido constitucionalmente, mas que a Administração do TJRO insiste em não conceder, tendo em vista estar fazendo reuniões com o Governador do Estado, nesse sentido, inclusive “sugerindo” que os outros poderes não concedam a reposição salarial para os seus trabalhadores.

A participação da categoria foi maciça. Todos os veículos de comunicação estiveram no local e registraram os assuntos discutidos pelos trabalhadores. Agora a luta é para que, na paralisação, um número ainda maior de trabalhadores possam estar presentes, pois a insatisfação é generalizada. Em todos as unidades do Poder Judiciário a reclamação é geral, portanto, chegou o momento de mostrar para a sociedade rondoniense que o trabalhador não vem sendo respeitado pela atual Administração do TJRO, pois nem o que lhes é garantido pela Constituição e nem o que recomenda o CNJ, está sendo concedido, demonstrando uma total afronta aos trabalhadores.

Durante toda a manhã em frente ao TJ e no período da tarde no auditório do SINJUR os trabalhadores puderam manifestar os anseios. O SINJUR passou para a categoria todos os pontos que foram levados à Administração do TJRO e também ao Governo do Estado. Pois desde o início do ano, a Diretoria do SINJUR já se reuniu tanto com o presidente do TJ, Desembargador Roosevelt Costa, quanto com representantes do governo para expor os argumentos que justificam o reajuste salarial para os trabalhadores do Tribunal de Justiça.

É importante que a categoria saiba que a Diretoria do SINJUR, visitou todos os desembargadores e todos f oram unânimes em reconhecer que é necessário a Administração conceder a reposição salarial aos trabalhadores. Levando também em consideração que os magistrados receberam 5% de aumento em janeiro deste ano e mais o auxilio alimentação no valor de setecentos (700) reais, e irão receber mais 10% divididos em duas parcelas, sendo 5% em janeiro de 2014 e 5% em janeiro de 2015, respectivamente, ou seja, já tiveram a reposição de parte das suas perdas salariais.

Outros assuntos também foram deliberados na assembleia. Foi aprovado por maioria o ingresso da ação judicial do adicional de incentivo, com o advogado Rodrigo Augusto, que é o detentor da tese de que o adicional está sendo pago errado desde 2010. Foi aprovado ainda o pagamento das custas processuais da ação do abono (40%).

Mediante tudo o que foi apresentado nesta segunda-feira, a categoria definiu que no próximo dia 24 deste mês os trabalhadores do Poder Judiciário paralisarão suas atividades, como alerta, para definir sobre a necessidade de haver uma greve geral no Judiciário de Rondônia, como forma de manifestar que a categoria precisa ser ouvida e ter os seus direitos respeitados, pois não abrem mão da reposição salarial, que é justa.

“O próximo passo é informar ao Presidente do TJRO e a todos os desembargadores e juízes, sobre a deliberação dos trabalhadores e esperar que a negociação avance, pois estará nas mãos do desembargador Roosevelt, a paralisação ou não do Poder Judiciário, pois os trabalhadores do TJRO não querem prejudicar ninguém. O que queremos é que a Administração valorize e reconheça os nossos direitos, com um salário digno”, finalizou o Presidente do SINJUR, Francisco Roque.

TJRO vai parar: trabalhadores deliberam pela paralisação

fonte: ASSESSORIA e Rondoniavip Visualizar Impressão

Alvo Notícias - Todos os direitos reservados Março/2010
Nilson Antônio Luz Junior (Diretor Alvo Notícias)
Cel: (69) 9285 - 1040
MSN Messenger: alvonoticias@hotmail.com
Email: contato@alvonoticias.com.br